Buscar

A saúde emocional nos resultados do trabalho

Já há algum tempo vem surgindo um crescente interesse sobre a temática da inteligência emocional. Esse fato se deve as rápidas mudanças sociais e organizacionais que estamos vivendo.Assistimos hoje a transformações importantes no mercado como um todo, novas formas de organizar o mundo do trabalho vem surgindo e modificando o formato que conhecíamos. Observamos o desaparecimento e o surgimento novas profissões e, simultaneamente, o aparecimento de novas tecnologias e formas inovadoras de organização do trabalho e da vida em geral. Todo esse cenário, impulsionado pela 4ª revolução industrial, obriga que empresas e profissionais repensem sua forma de atuação para que tenham diferenciais competitivos. Diante de todas essas mudanças, faz-se importante abordar a inteligência emocional no contexto empresarial.

Os sentimentos foram repelidos por muito tempo do contexto organizacional, sendo muito típico impor aos colaboradores que não os expressassem ou mesmo não misturassem questões pessoais com profissionais.


Entretanto, a literatura no ensina que é impossível deixar de lado as emoções no trabalho e, omitir as próprias emoções não faz com que os colaboradores sejam mais produtivos (Goleman, 2003). Ainda segundo o mesmo o autor, o mais importante é reconhecer e gerir as próprias emoções. A ciência moderna e vários exemplos de pessoas de sucesso que vemos, mostram que a inteligência emocional é um fator de alta relevância para se ter êxito na vida pessoal e profissional.


Nesse contexto, diante de vários estudos e conceitos, vale definirmos o que é inteligência emocional. O autor escolhido foi o Goleman, isso se deve a sua notoriedade e pesquisas sobre o assunto. Desta forma, o conceito de inteligência emocional é:

A capacidade de reconhecer os nossos sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerirmos bem as emoções em nós e nas nossas relações(Goleman, 2000, p.323).

Ainda segundo o autor, os pilares da inteligência emocional são:


O desenvolvimento desses pilares é de extrema importância para o bom desenvolvimento pessoal e profissional dos indivíduos. No contexto profissional, gerenciar as competências acima proporciona relacionamentos mais saudáveis entre os pares e entre líderes e liderados, melhor gerenciamento dos níveis de estresse e tensão, melhor capacidade de argumentação e negociação, melhor gestão de conflitos, entre outros benefícios.


Um grande desafio da atualidade, principalmente do primeiro semestre de 2020 tem sido lidar com as questões emocional ocasionadas pelo novo corona vírus. Sentimentos como raiva, medo, insegurança, frustração, estresse vem sendo sentido com frequência e alta intensidade pelos profissionais. Pesquisam já apontam que haverá um aumento significativo no número de transtornos psicológicos ocasionados por esse momento turbulento.


De acordo a Associação Internacional do Stress – ISMA-BR -2018, 72% dos brasileiros entre 25 e 65 anos que estavam no mercado de trabalho sofriam com o estresse em diferentes níveis de intensidade. Se pensarmos em como o nível alto de estresse impacta diretamente na produtividade e na qualidade das relações e das entregas dos colaboradores, esse número é assustador.


Características de alto nível de estresse podem ser:


ü Tensão muscular

ü Irritabilidade

ü Taquicardia

ü Insônia

ü Falta de atenção

ü Alergias e problemas de pele

ü Dores de cabeça

ü Dores musculares

ü Alteração do apetite

ü Diminuição da criatividade


Diante de tudo isso, e de como a má gestão das emoções impactam diretamente no desempenho dos profissionais, o tema Inteligência Emocional pode e deve estar na agenda das empresas.


Como remédio e prevenção para melhor gestão das emoções, A Estação4 elaborou as 10 ações abaixo. Essas ações podem ser “apadrinhadas” pelas empresas para ensinar e desenvolver a Inteligência Emocional ou Saúde Mental nos colaboradores.

1. Meditação

2. Escrever a emoção

3. Psicoterapia cognitiva

4. Mudar o fisiológico, saindo da tensão; praticar uma respiração profunda

5. Ajudar outras pessoas

6. Desenvolver o bom humor

7. Ser um resolvedor de problemas

8. Ressignificar as experiências - novas molduras para situações difíceis

9. Desenvolver o otimismo

10. Compreender como você conversar com você mesmo (manter esperança, se manter motivado).

Essas ações são úteis, existe também a possibilidade de terceirizar programas de saúde emocional, em sua maioria, eles são desenvolvidos por consultorias de Recursos de Humanos e possuem como foco atuar no desenvolvimento das premissas básicas da inteligência emocional.


A consultoria de RH Estação4 atua com um programa de saúde emocional, o #EmotionalCare, ele tem como escopo fornecer suporte para o processo de aprendizado do gerenciamento do estresse e fortalecimento da saúde emocional dos colaboradores. O programa é composto da seguinte proposta:


ü Diagnóstico situacional da organização (nível de estresse, ansiedade, depressão);

ü Aplicação de ferramentas de autoconhecimento;

ü Palestras para cada um dos pilares da inteligência emocional;

ü Mindfulness;

ü Atendimento psicológico para os colaboradores participantes do programa;

ü Relatório comparativo da evolução do programa: diagnóstico inicial x diagnóstico final.

ü Workshops de conscientização

ü O #EmotionalCare é conduzido por um time de psicólogas(os)


*O programa é aplicado no formato online e possui a duração de 3 meses.

Para conhecer mais sobre o programa de saúde emocional da Estação4, clique e aqui.




0 visualização
botao-whatsapp-no-seu-site-mercadobinari