Buscar

O fardo do RH: Mentiras no Currículo

Para a área de RH, o momento é muito oportuno para falarmos sobre esse assunto, está na mídia toda a muvuca em torno do currículo do ex-ministro da educação, o qual o teve uma passagem relâmpago pelo ministério. A grande repercussão das acusações sobre informações falsas no currículo e a acusação de plágio na sua dissertação de mestrado tornaram sua manutenção no cargo insustentável.

E para nós, do RH, o que isso importa? (além do fato do acusado ter sido nomeado ministro da Educação).

Esse é um assunto muito relevante para nós, receber currículos com informações falsas é uma triste realidade da área de Recrutamento e Seleção. Diariamente, recebemos diversos currículos com informações que não são verdadeiras. Independente da motivação do candidato, a inclusão de informações falsas no currículo é uma conduta reprovável. O candidato pode gerar sérios prejuízos para empresa caso ele seja aprovado em um processo seletivo em decorrência de mentiras no currículo. Imagine um profissional que irá manipular um determinado remédio e ele não tem experiência ou um curso que o outorgue a realizar a função. Esse tipo de conduta reprovável de alguns candidatos atrapalha muito o nosso trabalho, deixando o processo seletivo mais lento em função de todas as verificações que são necessárias para averiguar a veracidade das informações.


As consequências para o candidato que praticar esse tipo de conduta não é benéfica, há a perda da credibilidade junto com a empresa e, caso aprovado em função de informações falsas fornecidas, o risco de ser demitido por justa causa. O currículo é um documento e é um assunto muito sério, já existe um projeto de Lei para criminalizar a informações falsas no currículo. O profissional de RH precisa estar atento durante o processo seletivo, investigar, questionar e desenvolver uma excelente escuta ativa. Os sinais de honestidade ou desonestidade se apresentam nos pequenos detalhes.


Na consultoria já vivenciamos diversos casos sobre informações falsas no currículo. As mais comuns podem ser:


Ø Datas de saída das empresas anteriores: quando candidato informa no currículo datas que não correspondem à realidade sobre a sua saída das empresas anteriores. Isso ocorre para demonstrar maior estabilidade ou experiência em determinado cargo

Ø Informações escolares: quando o candidato informa que concluiu uma graduação e na verdade o curso está incompleto ou informa que realizou um determinado curso e não o fez.

Ø Conhecimento em Informática: principalmente Excel, o candidato informa que possui conhecimento avançado no Excel, quando na verdade só conhece o básico.

Ø Conhecimento em inglês: quando o candidato informa no currículo que possui fluência no inglês, mas não tem noções básicas do idioma.

Ø Experiência: quando o candidato informa que tem experiência em determinada área, que realizava o trabalho de forma autônoma quando na verdade, apenas auxiliava.

Ø Cargo de liderança: o candidato informa que possuía um cargo de liderança, mas não possuía. O candidato também pode aumentar o número de pessoas das quais fazia a gestão e com isso apresentar informações falsas.

Ø Atribuições: o candidato informa que desempenhou atividades que jamais teve contato ou mesmo foi responsável por conduzir um projeto específico, quando na verdade, apenas auxiliou.

Ø Disponibilidade de viagens: quando o candidato informa no currículo ou durante o processo que possui disponibilidade para viagens e na verdade, não a possui.

Ø Remuneração: quando o candidato informa uma remuneração diferente da verdadeira.


Essa fraude ocorre em duas hipótese: quando o candidato quer aumentar a sua remuneração e conquistar uma remuneração diferente da anterior ou quando o candidato não está conseguindo se recolocar com a mesma remuneração anterior e com isso ele reduz o valor para ter maiores chances de ser aprovado.


Existem outros tipos de informações falsas. Todas elas, além de impactar negativamente na reputação do candidato, podem gerar graves prejuízos para a empresa contratante. Diante deste cenário, cabe a empresa se proteger e averiguar as informações que são cruciais no currículo do candidato aprovado.


Vivemos um período desafiador e um mercado globalizado e competitivo. Para que seja produtiva para todos os envolvidos, qualquer relação precisa estar alicerçada em informação verdadeiras sobre as partes, e isso não é diferente em uma relação de trabalho. A experiência de mais de 20 anos na área e a literatura ensinam que esse é o único caminho para que se logre sucesso tanto para a empresa, quanto para o candidato.




0 visualização
botao-whatsapp-no-seu-site-mercadobinari